Ação coletiva dentro do quadro da ONU é necessária para lidar com desafios globais

(Alpha Xinhua)

3  MIN LEITURA

Beijing, China (Alpha Xinhua) – Antes das reuniões de alto nível das Nações Unidas, programadas para esta segunda-feira, a comunidade internacional espera que os líderes mundiais possam fazer esforços coletivos para lidar com os desafios globais.

Este ano marca o 75º aniversário da ONU, que se encontra em outro momento crucial da história da humanidade, tendo em conta o crescente unilateralismo e protecionismo.

“Ao comemorarmos o 75º aniversário das Nações Unidas, é claro que o mundo mantém altas expectativas sobre nós, como a principal plataforma para o multilateralismo e cooperação em um sistema internacional baseado em regras”, disse o secretário-geral, António Guterres na abertura da primeira reunião plenária da 75ª sessão da Assembleia Geral da ONU (AGNU, na sigla em inglês).

Na segunda-feira, os países membros da ONU devem adotar uma declaração, reafirmando seus compromissos com um multilateralismo revigorado.

Em seu discurso de abertura na reunião da AGNU, Volkan Bozkir, presidente da 75ª sessão, disse que “o contexto em que estamos trabalhando serve para nos lembrar da necessidade do sistema multilateral e inspira a todos nós a fazermos uso da Carta da ONU para sanar nossos desafios coletivos”, em referência à pandemia de COVID-19.

A doença que assola o mundo já infectou mais de 30 milhões de pessoas e matou quase 1 milhão.

Neste momento crítico, “esta é uma oportunidade sem precedentes para se reconstruir melhor e mais justo. Para a África, o caminho que devemos seguir é claro. A Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável é um modelo para cooperação e parceria globais”, disse na quinta-feira o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, via uma videoconferência da ONU.

“Nossa experiência com a COVID-19 realmente demonstrou o que pode ser alcançado se agirmos e trabalharmos juntos para enfrentar os desafios globais”, destacou Ramaphosa, também presidente da União Africana.

Em seu documento de posição sobre o 75º aniversário da ONU, a China reafirmou seu compromisso de salvaguardar o sistema de governança global com a entidade no centro, as normas básicas das relações internacionais sustentadas pelos propósitos e princípios da Carta da ONU, a autoridade e a estatura da organização e o seu papel central nos assuntos internacionais.

Bertrand Badie, um renomado especialista em relações internacionais da universidade francesa Sciences Po, disse que, face ao unilateralismo e hegemonismo, todos os países devem se comprometer com o multilateralismo, defendendo os propósitos e princípios da Carta da ONU e do sistema internacional com a entidade no centro.

Ele pediu o abandono da mentalidade da Guerra Fria e do hegemonismo para construir uma relação internacional mais imparcial e justa.

“Embora a ONU precise ser fortalecida e reformada, ela desempenha um papel insubstituível em áreas como a promoção da segurança, cooperação econômica e cooperação em saúde pública”, disse Liu Di, professor da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Kyorin, em Tóquio.

Cavince Adhere, pesquisador de relações internacionais em Nairóbi, disse que o mundo está enfrentando desafios transfronteiriços, da pandemia da COVID-19 à mudança climática, enfatizando que todos os países devem fortalecer a solidariedade para coordenar seus esforços em vez de seguir ações unilaterais.

Ignacio Martínez Cortés, professor de ciência política da Universidade Nacional Autônoma do México, disse que o mundo precisa da experiência da China para ajudar outros países a emergirem da atual crise de saúde pública e precisa que a China promova o multilateralismo dentro do quadro da ONU, o que ilustra o conceito de construir uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.

“Neste aniversário de 75 anos, enfrentamos nosso momento de 1945”, disse Guterres, enfatizando que “devemos mostrar união como nunca antes para superar a emergência de hoje, fazer o mundo andar, trabalhar e prosperar novamente e defender a visão da Carta.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.